PREFÁCIO
 

Raiz Mineira
País sem memória está morto, e não sabe. Precisamos, a cada avanço do tempo, de um esforço de revivificação de tudo o que aconteceu antes. E lá atrás, no que nossos antepassados fizeram, no que deixaram documentado, construído, pensado, escrito, cultivado, nas terras e árvores e rios e mares e pedras que cercaram suas vidas, é lá que também estamos, numa continuação permanente dos movimentos da vida.
O trabalho de Aristoteles Drummond, neste mergulho, nesta reconstituição da história de Minas Gerais, vem, por isso, solidificar a memória de uma parte do País em que a nacionalidade ganhou raízes fortes e, por isso, pensou desde cedo em liberdade e independência.
Neste relato de uma luta constante em busca da liberdade gravada na palavra “libertas” da bandeira de Minas Gerais, examina Aristoteles a trajetória mineira, desde o começo, com os episódios mais importantes de sua memória e as figuras dos que ali trabalham pela construção do Brasil como o temos hoje, e com as figuras que lideraram, em qualquer setor, principalmente da cultura, na administração e na política, os movimentos que deram ao Estado de Minas Gerais sua posição central no desenvolvimento do País.
Apoiando-se também no trabalho literário e de pesquisa de seu avô, Augusto de Lima Júnior, reconstitui Aristoteles Drummond a heróica e dramática história do Ouro Preto de Minas Gerais e a de uma cultura que deixou tradições definitivas na arquitetura, na escultura, na pintura, na poesia, na música, nos folguedos populares, na culinária, na agricultura, na pecuária, na siderurgia, na organização familiar. Baseado no modo-de-ser do mineiro, traça também o autor, neste livro, um retrato do Brasil como povo e como nação.
Antônio Olinto
Da Academia Brasileira de Letras

Mineirice é safadeza. Mineiridade é o senso do mineiro, da importância de Minas Gerais. Mineirice é a mesma coisa que mineirismo. É esperteza, sabedoria, safadeza e malícia do mineiro. Não estou dizendo que é a esperteza inteligente. A mineiridade admite o espírito, a inteligência, o golpe bem dado, perfeito, estabelecido direitinho, com toda ética. Agora, mineirice não é só esperteza.
Oscar Dias Correa
Depoimento à Memória Políticade Minas – volume 2 – pág. 978